Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Expressão da Imaginação

Aqui solto a minha mente, para que ela possa sobrevoar os céus dos sete mares. Não posso especificar ao certo o que vou abordar aqui, pois a vida é tudo menos previsível. Mas fica um pouco e deixa te perder...

Expressão da Imaginação

Aqui solto a minha mente, para que ela possa sobrevoar os céus dos sete mares. Não posso especificar ao certo o que vou abordar aqui, pois a vida é tudo menos previsível. Mas fica um pouco e deixa te perder...

Blogs Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Abrir os olhos.

nathan-dumlao-273349.jpg

E foi bom. Olhar para ti e não sentir nada a mais, nada a menos. Tudo igual. Os pássaros mantiveram-se no seu sítio e o suave som das folhas das árvores manteve-se o mesmo. Precisava disto. Precisava de ter esta certeza. Esta certeza que foi tudo um sonho, mesmo, um sonho que eu tive num coma qualquer. Ter esta certeza que não há nenhum sentimento que me agarre a ti. Ter a certeza que todas estas marés que sobem e descem nunca tiveram um verdadeiro significado. Fiquei com a certeza de que tudo o que eu via nestas marés foi tudo uma ilusão. Um romance que eu criei na minha cabeça. Nunca me apaixonei realmente, mas sou apaixonada por histórias. Sou apaixonada por histórias e por delírios. Foi tudo um conto que escrevi na minha cabeça. Sabes… Para ocupar o tempo! Para fingir que era capaz de sentir algo, não só por ti, mas como com uns outros poucos. Precisava de alimentar esta esperança, esta esperança que um coração que está coberto de pedra pode quebrar a mesma, pelo simples fato de aquecer o suficiente com o seu profundo sentimento. No meio de tantos enigmas e ilusões, tu hoje fizeste-me perceber… Graças a ti acordei desta ilusão sentimental que a minha vida tem sido.

 

Photo by Nathan Dumlao on Unsplash