Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Expressão da Imaginação

Aqui solto a minha mente, para que ela possa sobrevoar os céus dos sete mares. Não posso especificar ao certo o que vou abordar aqui, pois a vida é tudo menos previsível. Mas fica um pouco e deixa te perder...

Expressão da Imaginação

Aqui solto a minha mente, para que ela possa sobrevoar os céus dos sete mares. Não posso especificar ao certo o que vou abordar aqui, pois a vida é tudo menos previsível. Mas fica um pouco e deixa te perder...

Blogs Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sem recursos extra.

A moça atravessa a estrada em direção à estação de comboios. Quando lá chega olha ao seu filippo-ascione-161021.jpgredor, reparando nos pequenos grupos, mas também nos grandes. Àquela hora ela era a única que se encontrava sozinha, longe de todos e até mesmo da realidade. Nos últimos anos a vida dela tem jogado xadrez contra ela. Parece que cada jogada dela é um passo em falso. Pouco a pouco ela vai perdendo cada peça sua naquele tabuleiro. E a vida vai rindo da sua cara! Então de tempos a tempos ela atira-se de cabeça… Nos dias de hoje é fácil encontrar alguém com quem falar. Mas verdade seja dita, o difícil é encontrar quem nos oiça realmente. Então ela atreve-se e dá a cara. Fala com uns quantos desconhecidos à procura do conforto que a vida lhe tirou… Quando para para se olhar ao espelho. No seu reflexo ela só vê tudo o que lhe foi tirado, e como a vida se esqueceu de ir preenchendo esses vazios. Foi ficando mais e mais sozinha. E aí ela decide desaparecer do mapa onde encontrou com quem falar. Porque num coração tão apertado já não cabe mais dor, humilhação, nem mesmo incompreensão. Isto porque até mesmo a solidão que a envolve consegue ser mais acolhedora. Mais acolhedora do que olhares cheios de estranheza. Uns admiram-se de alguém cair assim tão fundo num poço. Outros não percebem como a moça de coração cheio, para tudo e todos, hoje, passado todos estes anos, foge deles por muito que queira reconetar. Afinal, o coração que os enchia cansou-se de esvaziar. Como suportar a dor de sempre dar e nada receber? Algum dia a moça ia escassear…

 

Photo by Filippo Ascione on Unsplash